segunda-feira, 21 de julho de 2008

GET A ROOM!! (Batman)

Onde: cinema do Galleria.
Quando: domingo de noitinha
Com quem: Du, Dan e Ju
O quê: Batman - O Cavaleiro das Trevas

Motivo do meu ódio: um casal

"Vamos ver Batman? Eu quero ver Batman". O Du falou isso desde a hora em que a gente acordou. Ok, vamos. Sem muita animação, sem muita empolgação, mas vamos, pode ser legal.

Meu primeiro namorado era Batmaníaco. Ele me fez ver todos os Batman, li alguns quadrinhos, gostava mesmo era das edições especiais (ah, o cheiro do papel das edições especiais é bom demais!). Daí peguei gosto, e acabei vendo sempre todos os filmes, mesmo depois de já estarmos separados.

O Batman Begins é muito bom, mesmo. Tem o clima sombrio dos quadrinhos, e não o carnaval dos últimos filmes (Batman 3 e 4). E como esse novo é do mesmo diretor (Nolan), estávamos esperando grande coisa. O Christian Bale também ficou bem de Bruce Wayne, e além do mais tinha a história toda do Coringa. Ah, o Coringa. Heath Ledger morreu e daí ficou toda essa comotion.

Vale a pena ver por ele: ele arrebenta como o Coringa. De verdade. Bem foda. Mas não me empolguei muito com o filme, não. Achei Batman Begins muito melhor.

Daí, do meu lado, tinha um maldito casal. Começou que o idiota do cara, ao acabar de comer a pipoca, amassou o saquinho e quis colocar no cantinho da poltrona dele. Só que o cantinho da poltrona dele era o canto da minha poltrona, e de repente eu senti um saquinho encostando na minha bunda. Daí ele pediu desculpas. Ok. Tá desculpado.

Se eu soubesse o que viria depois, não tinha desculpado e ainda tinha mandado ele tomar no cu.

A pôrra do casal passou o filme inteirinho se beijando do meu lado. Você pode pensar que eu sou uma pessoa amarga e estranha, mas eu juro que isso me irritou profundamente. Eu não conseguia prestar atenção a algumas cenas por causa do barulhinho irritante daquelas bocas grudadas. Não era barulhinho de beijinho estalado: era aquele barulho de beijo mole, molhado. Cara, juro mesmo, irritava demais.

Além do que a biscate a menina estava quase sentando no meu colo, de tanto que ela se retorcia pra abraçar o pit-boy. Uma hora que todo mundo riu de uma cena do Coringa, a anta falou "Ai, eu nunca consigo pegar as partes engraçadas". Óbvio, sua cavalgadura, você não está assistindo ao filme!

Cara, GET A ROOM!!!! Mesmo. De boa. É ridículo pagar 15 reais por pessoa pra ir ao cinema e ficar se beijando, velho! Vai pra casa, vai pro motel, sei lá, mas não dá dessas. E também é desconfortável, vai! Eu nunca fui de ficar me pegando com os outros dentro do cinema. Cinema é pra ver o filme. Ficar abraçado, ok, delícia, dar uns selinhos de vez em quando tudo bem, se beijar no trailler e olhe lá, que eu adoro ver trailler. Tudo tem a sua hora. Agora, não quer ser assim, beleza, seja como quiser, mas não vem se beijar do meu lado e acabar com o meu filme. Desconfiômetro, vai. Irritante.

Juro mesmo, não é implicância. A Ju me perguntou "Ah, mas se você estivesse no cinema com o seu namorado, você não ia estar fazendo a mesma coisa?". CLARO QUE NÃO. Mesmo que o filme estivesse chato (o que não era absolutamente o caso), acho que eu ficaria assistindo, ué. Paguei por isso. Ou então desencana e vai embora, pronto, vai dar em casa. Mas não fode com o meu filme...

Daí eu pensei em um monte de coisas filosóficas pra escrever sobre o caso, sobre a minha raiva, sobre o casal, sobre o beijo, sobre várias coisas, mas decidi deixar assim mesmo, só o relato da minha raiva. Pensem vocês o que quiserem.

Um comentário:

Mazinha disse...

CONCORDO!!!
Eu nunca fico me malhando no cinema... quero ver o filme. PORRA! Num é tão díficil de entender...
Amei o filme e o Heath - lindo, fofo e bom ator - mandou muito bem.

Beijos!