quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Selva

Meu aluno foi esfaqueado terça-feira, numa tentativa de roubo de seu celular. Não, isso não aconteceu em um bairro afastado, na periferia, de noite. Eu leciono em uma escola particular, no centro da cidade, e isso ocorreu ao meio-dia, debaixo de um puta sol. Ele está na UTI.

O adolescente Renan Cunha de Souza, de 16 anos, foi esfaqueado na tarde de ontem durante tentativa de assalto no Viaduto Cury, no Centro, em Campinas. Ele cursa o primeiro ano de informática no Colégio Politécnico Bento Quirino e voltava para casa. No dia anterior, Souza tinha ganho um i-Pod de presente de aniversário. Souza está internado em estado grave na UTI do Hospital Municipal Dr. Mário Gatti e, segundo boletim médico, corre risco de morte. Até o fechamento desta edição, nenhum suspeito havia sido preso.
http://www.puccamp.br/servicos/detalhe.asp?id=47860


http://cosmo.uol.com.br/noticia/39013/2009-10-07/pm-prende-acusado-de-esfaquear-estudante.html

Puta que pariu. É tudo que eu consigo pensar. Que merda de mundo é esse? Se a gente pensar muito, revolta. Revolta demais.

A gente ouve histórias como essas todos os dias. Dá no jornal, alguém comenta no salão de beleza, a mãe chega contando. E a gente se sente mal, mas passa. Porque vira normal. Mas pôrra, ele é meu aluno. Eu o vejo todos os dias. E ele é uma gracinha de aluno. Notão na minha matéria, escreve bem, super comportado sem ser nerd. Uma graça. Imaginá-lo nessa situação, imaginar os dois colegas que estavam com ele, que também são meus alunos e que também são duas graças, isso me deixa meio tonta. Cambaleando. Enojada, com ânsia.

Existe alguma justiça nisso? Existe alguma justiça? Esse mundo tem muita coisa linda, mas tem muita merda também. E pensar nesse lado me entristece.

A classe desse aluno é um inferno, eu sempre brinco. São quase 50 alunos na sala, um monte de moleques, eles não param um minuto, muitos não se interessam por nada. Uma sala difícil de dar aula. Eu vivo dizendo que não vou pegar essa turma no ano que vem. Mas agora estou até pensando de novo. Porque eu quero poder fazer a minha parte, poder fazer o que eu puder fazer de bom por esses alunos, esses três em especial, e todos os outros também. Colaborar com o que eu posso, levando ideias que eu considero importantes, indicações de coisas importantes, diretrizes pelo menos. Se eles vão seguir ou não, aí eu já não posso controlar mais.

Renan, luz pra você, meu querido. Estou esperando ansiosa pra ler suas redações de novo, pra corrigir suas provas e marcar com orgulho aquele 9 bonito. Pra te ver no seu lugar de novo, que é ali com a gente, com os seus colegas, sorrindo, aprendendo, ensinando. Volte logo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Revoltante. Muito revoltante. E ae? Quanto tempo essa pessoa fica presa? Dois, três dias? Revoltante. Muito revoltante.

Satya disse...

Caramba. Que mundo triste.
Sou professora também mas os eventos que já ouvi relatados nunca passaram de "meros" roubos.
Desejo paz pro seu coração de educadora, amiga e admiradora do rapaz.

Srta.T disse...

Ah cara, que tristeza. Já é horrível ler uma notícia dessas, e saber que aconteceu com alguém que a gente conhece, putz, deve ser uma tijolada. Força pro Renan, que se recupere logo. E força procê também, porque não deve ser fácil.

Beijo

(ah, mande notícias do estado dele caso haja alguma mudança, por favor?)

Renan Cunha disse...

Nós sempre pensamos, "nunca irá acontecer isso comigo" mas a vida literalmente é uma caixa de surpresas, podemos esperar de tudo desse Mundo, e como eu o próprio que viveu isso tudo, li esse postagem e lembrei de tudo o que eu vivi, realmente não foi fácil. Mas acreditei sempre, pq sei que mtas pessoas me ajudaram do jeito que puderam seja em oração, doando sangue de qualquer forma. Vi que iria deixar muita gente triste pra trás. Saudades do colégio e de você professora *-* até me emocionei. e se você ler e ainda der aula nu 2º IFB manda um abraço meu pra todos la, Obg por tudo. e não ligue se tiver erros de português :D