quinta-feira, 25 de março de 2010

Pink Floyd, Time e a solitude boa

Daí que eu tava puta por ter tido uma semana estressante pra caralho. Trabalho até dizer chega, até gritar chega (mas gritar não faz o trabalho parar). Trabalho até chorar. Daí que eu ando numa fase “desamigada”: meus amigos espalhados pelo mundo, cada um num canto, no seu canto, com a sua namorada ou o seu namorado, ou com os seus projetos. E com as suas vontades. A minha vontade era ir no Delta ver Pink Floyd cover. Mas nenhum dos meus amigos estava disponível. E os poucos disponíveis não estavam disponíveis pra ir no Delta.

Daí que a semana foi tão filhadaputa que eu disse: “quer saber? Vou sozinha!”.

Eu definitivamente preciso fazer mais isso. Primeiro que bar de rock tem muito mais homem que outros lugares. Não entendam essa frase como uma coisa de “caçadora”, porque isso é uma coisa que eu não sou, e uma coisa que me enoja, esse papinho de “caçar”. Lugar que tem homem é bom por causa da energia. Não tem aquela coisa nojenta da mulherada arrumada “pra matar”, te medindo de cima a baixo, olhando seu sapato, seu cabelo, sua pulseira, sua bunda, seus peitos, mais que os homens. Não tem aquela energia negativa das fêmeas à procura. Os caras tão ali pra curtir o som. Colocam suas camisetas pretas e vão de boa ver a banda, tomar uma breja e curtir o som. Exatamente o que eu queria naquela sexta-feira.

Não tem cantada idiota. Tem cantada, mas legais e engraçadas. Tem cerveja gelada (Itaipava, mas foda-se). Tem um som do caralho, a banda era foda mesmo.

Daí que a gente conhece uns amigos de uns amigos, toma umas brejas, curte o som, paga a conta pra sair pra fumar (inferno...), a gente se sente aliviada, a tensão da semana vai embora, daí que a gente ouve Time e chora sem saber por quê, sem conseguir controlar; quando vê, as lágrimas estão escorrendo, mas sem escândalo, mornas, suaves, a gente sai pra fumar e encontra um doido que chorou com Money (cada louco com a sua), e pergunta por que esses sons intimistas deixam a gente assim, e a gente responde que precisa às vezes dar 2 minutos pro choro vir. Não mais que 2 minutos. Daí a gente limpa os olhos, fuma o cigarro, toma mais uma breja e, quando vê, ta dirigindo pra casa trêbada, sem saber como chegou ali. Mas bem de boa.

Definitivamente: preciso fazer isso mais vezes.

4 comentários:

Abner Alex disse...

Quando tem cover do PINK FLOYD no DELTA e eu não fico sabendo, eu descubro q estou a-l-i-e-n-a-d-o...
D:

Lu_Br disse...

Nossa que violencia !!!!!!

Anônimo disse...

Pô, amiga: que saudades dessa intensidade só não das atividades semanais, mas dos encontros. Não vejo a hora de estar ai. Beijão saudoso do Zé.

PERPLEXIDADE disse...

uaaauuuuuuuuuuuuuu!!!

adorei!

um bj, sua linda, SUMIDAAAA... tá td bem eu tb estou!!

saudade
saudade